Miragem

Ah! Postagem rapidinha, só um poema de minha autoria, datado de hoje mesmo (21/05/2012) ;]

Miragem
E então deu um passo contido
Pisando em irregular planície
Uma face em osso talvez
Desgastada pelo tempo
E jamais em glória, perdida
E mais um pequeno passo
Ao escaldante sol do meio-dia
Em meio as ruínas esquecidas
Da gloriosa cidade do fim
Lar dos pesadelos sublimes
Uma emanação de calor e um
Arrepio aos olhos felinos
Um ídolo arde em fogo
Em sua existência inerte
Os braços do tempo te seguram
Oh! Pequenino perdido
Em absoluto esquecimento
E a orbe se volta ao sol
É o deserto banhado à fogo
Sem saídas, sem perdão
Arrastando-se por dunas arenosas
Descansa por seu tempo finito
Pois o fim cavalga os ventos
E seja bem vindo, é claro
Ao fim que lhe trará consolo
Uma miragem da amiga morte
E o vento a uivar em respeito
Ao seu estranho destino
Bem vindo meu caro…
À cidade dos pesadelos
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s