Canção aos Ventos

124

Soprei uma canção de liberdade

E um traiçoeiro vento levou-a

Perdida em campos e pastos

Areia, água e asfalto

Transformou-se em uma carícia

Suave brisa, a liberta canção

Prendeu-se em galhos avulsos

Perdeu-se em lagos, rios  e mares

Estendeu-se na imensidão

Por fim retornou transmutada

A canção de liberdade

Não se importava de ser cativa

Desde que novamente lhe soprassem

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s