Sublime

Atenção à classificação etária 😉 

01

Classificação: +18
Categoria: Originais
Gêneros: Romance, Hentai
Avisos: Nudez, Heterossexualidade

Capítulos: 1 (1.165 palavras) | Terminada: Sim

separador21

O ambiente encontrava-se em pleno silêncio exceto por uma suave canção, uma voz feminina seguida de batidas remixadas na rádio. Esparramada na cama, de lençóis bagunçados, sob a completa escuridão, o corpo repousava imóvel, aparentemente já há algum tempo naquela posição, os olhos castanhos a encarar o teto quase não piscavam, até que de súbito levantou-se.

Era a hora perfeita para se presenciar a lua cheia no belo céu estrelado, e uma íntima satisfação a tomou instantânea ao debruçar-se sobre o parapeito da janela do quinto andar, um devaneio à um abraço, um beijo escondido no canto dos lábios, e o luar apenas a iluminar os cabelos soltos à leve brisa. Tão alheia ao mundo, que não percebeu sequer sua chegada.

O suave toque em sua silhueta a despertou para virar-se, mas teve seus pulsos seguros ao parapeito da janela, a respiração pesada bateu-lhe à nuca provocando um gentil arrepio e o olhar abaixou fechando as pálpebras.

Sentiu o cabelo ser retirado do pescoço e jogado por cima de um dos ombros pelos dedos frios, e em seguida lábios a deslizar suavemente por sua pele. A larga camiseta branca que usava já a muito era profanada sendo deslizada lentamente para cima enquanto sua pele era acariciada assim que descoberta.

Se ao menos ele pudesse ver o que os gestos tão simples já haviam despertado em seu olhar, sem nem ao menos vê-lo. Mas os olhos por fim se encararam após um sutil movimento, e ela mordia os lábios tentadoramente enquanto deslizava as unhas em um vai e vêm convidativos por seus braços e fronte desnudos. Nada mais do que por alguns segundos até os lábios se encontrarem em choque e um prazer mútuo. Separaram-se em poucos segundos apenas para mais um rápido olhar e finalmente se perderem aos beijos. As línguas dançavam, em uma coreografia conhecida e viciante, não havia porque trocar o que era de encaixe tão sublime. Ele mordiscou os lábios dela, e ela retribuiu mordendo e puxando, para então embarcar em mais um beijo enquanto davam passos vagos até a cama, os braços dela enlaçando o pescoço dele, até sentir-se ser pega no colo, e enlaçar também as pernas em volta dele enquanto ele a carregava mais rapidamente na direção desejada.

O corpo miúdo afundou no colchão de lençóis bagunçados enquanto os lábios dele deslizavam por seu pescoço e colo e ela se apoiava nos cotovelos se esgueirando para a cabeceira da cama, apoiando-se melhor e puxando por fim os lábios dele em um beijo exigente enquanto as mãos grandes trabalhavam em descer o fino tecido da calcinha e relando o jeans bruto no lugar.

Sentiu uma satisfação particular ao vê-la interromper o beijo para deixar um gemido baixo escapar por entre os lábios avermelhados, e aquela foi a deixa para virá-la deixando o corpo apenas com a camiseta encolhida deixando o livre para investir. Desceu uma das mãos até sua intimidade acariciando de leve, penetrando lentamente dois dedos, enquanto sussurrava em seu ouvido secretamente a fazendo suspirar. E como amava vê-la assim entregue.

Sorriu respirando por sobre sua coluna até chegar ao bumbum, a fazendo empiná-lo levemente até poder alcançar sua intimidade até então acariciada por seus dedos. Deslizou a língua uma vez a fazendo estremecer de imediato, mordiscou e chupou a ouvindo gemer, sentiu seu próprio membro apertado por sob as vestes, precisava dela, precisava sentir sua entrada engolindo-o conforme a estocava. Ela estava quase lá, podia sentir isso a cada vez que penetrava a língua nela e suas pernas sem mais tantas forças para manter a posição, e foi exatamente quando ele parou e ouviu um suspiro e um leve “Por quê?”.

Deixou escapar um riso gostoso enquanto acabava de despir-se rapidamente, jogando a calça e a cueca em um canto qualquer, voltou rápido, esfregou o membro na intimidade dela sem penetrá-la até o liquido deixar-se escapar pela entrada apertada da mesma melando também seu membro, e então a penetrou no mesmo instante, deslizando fundo enquanto mantinha os quadris erguidos por seus braços e ela mal conseguia respirar.

Manteve o ritmo lento estendendo-lhe a sensação enquanto ele aproveitava as suas próprias. Inclinou-se um pouco a abraçando com uma mão em cada seio e a trazendo junto consigo em uma posição meio sentada deixando-se afundar ainda mais, tirou o membro rapidamente e tornou a penetrá-la duramente algumas vezes para então retornar ao ritmo lento a ouvindo gemer sem parar suspirando quando lhe faltava fôlego. Beijou a pele suave enquanto sentia as unhas dela se afundarem por sobre suas mãos quase que em desespero. Estava quase lá quando a levou ao segundo êxtase e em movimentos firmes liberou-se dentro dela.

Respirou fundo deixando-se afundar na sensação, deitando-se ao lado dela.

Suspirou satisfeita ao sentir sua respiração em sua nuca, e virando o corpo vagarosamente, deixou a mão a passear pelo corpo dele até seu membro, primeiro uma suave carícia, para então segurá-lo firmemente, não o olhou em momento algum, apenas deixou-se guiar até onde sua mão repousava substituindo-a por seus lábios.

Lambeu toda a extensão como se o limpasse, e então abocanhou chupando lentamente excitando a glande com movimentos da língua, subiu e desceu se deliciando com os gemidos dele à sua mercê. Ele segurou seus cabelos comandando o ritmo como gostava, e ela sentia-se exposta enquanto sabia que ele observava-lhe, e aquilo só fez o formigamento em seu baixo-ventre aumentar ainda mais. Sugou a pele até deixá-la avermelhada e pulsante novamente, e então satisfeita com o resultado finalmente o encarou enquanto passava uma das pernas por sobre seu corpo e deixava se descer de uma só vez sobre o membro.

Fechou os olhos de imediato segurando um gemido mordendo os lábios, até senti-lo mexer-se lentamente sob si. Abriu os olhos apenas para encontrar os dele a reparar cada detalhe de sua face enquanto estava dentro de si. Apoiou ambas as mãos em seu abdômen, e acelerou o ritmo contraindo sua intimidade enquanto mastigava o membro dentro de si. Tentava por vezes manter-se a encará-lo da mesma forma, mas logo suspirava frustrada erguendo a cabeça em um suspiro fechando os olhos sem conseguir se conter.

Se pôs a mexer-se preguiçosamente deitando-se sobre o corpo forte, enquanto ele lhe acariciava as costas prolongando a sensação gostosa, até sentir-se subitamente ser virada tendo suas costas pressionadas no colchão e um beijo selvagem nos lábios. Ele acelerou os movimentos afundando sua cabeça no pescoço dela, mordendo a região por vezes, enquanto sentiu as pernas dela enlaçar seu tronco a deixando mais exposta. Os gemidos dela se sobressaíram enquanto ela o arranhava deixando marcas avermelhadas em suas costas, seguindo o ritmo.

Os corpos se chocavam em uma sincronia única até o suspiro mais profundo e a liberação de ambos em fim.

As respirações se mesclaram em um beijo suave, os olhos se encontraram sorrindo mútuos. O prazer íntimo, pela presença um do outro junto ao ato, não havia nada mais sublime.

– Eu te amo… – sussurraram por fim deixando-se levar para o mundo dos sonhos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s